Search
Close this search box.

Rodrigo Bittencourt lança o single “O nome dela é Sarah”

Sexto single do músico Rodrigo Bittencourt, “O nome dela é Sarah”, já está disponível nas principais plataformas digitais. O single foi produzido com a direção artística do músico Zeca Baleiro. A obra carrega em sua essência uma sonoridade pop, muito suingue com pitadas de funk americano e muito bom humor. Com estilo moderno e dançante, Rodrigo mostra toda a sua versatilidade artística como cineasta e bom contador de estórias apresentando uma fluidez musical.

A obra é bastante contemporânea e conta a história de um personagem que tenta reatar um relacionamento. A letra é um bem-humorado pedido de desculpas, relembrando os bons momentos vividos pelo casal. “Imaginei como seria pedir desculpas para uma ex-namorada pelas redes sociais, usando plataformas como Tiktok ou instagram”, explica o compositor.

O resultado é uma faixa divertida, carregada de suinge e ritmo. Na letra, destaque para pitadas bem dosadas de bom humor e de cenas cotidianas de um casal.

“O Nome dela é Sarah” é gerida pelo selo Backing Stars/Ditto Music, uma das maiores empresas especializadas em distribuição de música e gestão de selos musicais.

Desde 2021, o músico e compositor vem lançando uma série de singles: “Jaboticaba”, parceria com Zeca Baleiro, que saiu em junho e, em outubro, “Malandro Vacinado”, ambas em dueto com o músico, ainda lançou um dueto com o Michael Sullivan, “Beijo na Boca e Xenhenhém” e “Anitta e Ivan” em dueto com a cantora Liah Soares. Todos os singles antecipam seu novo álbum: Que a felicidade seja um dom, produzido por Lucas Pereira e direção artística de Baleiro.

 

RODRIGO BITTENCOURT
Rodrigo Bittencourt é cantor, compositor, músico, diretor de cinema TV e teatro, roteirista e escritor.

Como músico e compositor, foi gravado por Maria Rita (“Samba Meu”/2007),  Fagner (“Onde Anda Você”, parceria com David Tygel, música tema  do filme de Sérgio Resende/2004), Thaís Gullin (“Cinema Americano”, álbum ôÔÔôôÔôÔ/ 2011). Rodrigo ainda fez parcerias com Jorge Mautner, Ana Carolina e Zeca Baleiro.

Em carreira solo lançou três discos, “Canção Pra Ninar Adulto” (2009), “Mordida” (2012), produzido por Nilo Romero (produtor de discos de Cazuza, Moska, Kid Abelha, entre outros) e “Casa Vazia” (2015), produzido por Pedro Sá (que assina também discos de Caetano Veloso). Lançou ainda dois discos com sua banda “Les Pops”, “Quero ser cool” (2011) e “Delira e vai” (2015).

Escreveu, dirigiu e fez a trilha sonora do seu primeiro longa-metragem, “Totalmente Inocentes” (direção, roteiro e trilha sonora – sátira – Globo Filmes – Paris Filmes/2012). O sucesso de público foi grande, alcançando a marca de mais de meio milhão de bilhetes com apenas 100 cópias, ficando entre os sete filmes brasileiros de maior bilheteria do ano de 2012. Seu segundo longa,  de 2017,“Real – O Plano por trás da história” (direção e trilha sonora – drama – baseado em fatos reais – Globo Filmes – Paris Filmes, fez 100 mil bilhetes no cinema). E seu terceiro longa, lançado em 2021, “Missão Cupido” (roteiro, direção e trilha sonora), (comédia romântica surrealista, Paramount Pictures e H20). Seu quarto longa está em captação, “O passageiro” (co-produção Brasil/Argentina – direção e trilha sonora Rodrigo Bittencourt). Na TV, acabou de escrever sua primeira série: “Evas do Gramado”. Também baseada em fatos reais em fase de produção. Além de ter dirigido programas de TV (Canal Brasil e Multishow), clipes e vários curtas, Rodrigo Bittencourt estudou teatro, fez formação de atores na CAL (Casa de Artes de Laranjeiras – Rio de Janeiro), estudou música na escola Villa-Lobos (Rio de Janeiro) e cinema na faculdade Estácio de Sá no Rio de janeiro. Participou de vários grupos de filosofia e poesia pela cidade, comandou por três anos o projeto “Te vejo na Laura”, Casa de Cultura Laura Alvim em Ipanema, onde foi diretor produtor e roteirista do espetáculo que ficou três anos em cartaz e contou com participações de Caetano Veloso, Jorge Mautner, Ferreira Gullar, Cacá Diegues. Foi diretor do projeto Santa Cultura, onde lecionava arte para meninos e meninas do morro Santa Martha no Rio de Janeiro.

Como escritor tem três livros publicados: “Esmalte vermelho” (orelha de Cacá Diegues (romance, 2008 pela editora Língua Geral- comprado em 2017 para virar filme) e “Ópera Brasil de Embolada”, com orelha de Zeca Baleiro (infanto-juvenil, 2011 – pela editora Pallas). Em 2021, lançou seu terceiro livro “Missão Havana”, com orelha de Arthur Xexéo, escrito durante temporada de Rodrigo em Cuba.

#ToNaMidia #ClaudeLopes #RodrigoBittencourt #ONomeDelaESarah #ZecaBaleiro

COMPARTILHE
SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS

Leita também

a) Cole no código-fonte do seu site, próximo à parte inferior, pouco antes, ex: da mesma forma que você insere o script/código do google analytics. b) Caso você esteja usando banners, você também precisa adicionar a tag: