O FLIBA 2021 “Festival Literário da Baixada Fluminense”, começa neste final de semana

O FLIBA 2021, “Festival Literário da Baixada Fluminense”, surge da oportunidade de fomentar o fazer literário, a leitura, os encontros, os livros, os contos, as intervenções e manifestações culturais da/e para a Baixada Fluminense.

Romulo Sales, produtor e gestor cultural que até então estava à frente da Superintendência de Artes do Estado do Rio, assumiu o desafio de estar à frente da Secretaria Municipal de Cultura e ao identificar a ausência de bibliotecas e livrarias na cidade, idealizou o projeto, cujo a primeira edição terá sede no município de Queimados, com adesão aberta para as demais Cidades da Baixada Fluminense. O festival terá 28 dias de programação, no período de 20 de março a 18 de abril, contando com oficinas, apresentações de teatro, encontros literários, mesas de debate, contações de histórias e slams. Quase 100% dessa programação é composta por projetos incentivados pela Lei Emergencial da Cultura, Aldir Blanc, e projetos premiados no Retomada Cultural da SECEC-RJ e demais Cidades da Baixada Fluminense.

A partir da demanda de aglutinar programações e entregas efetivas e seguras nasce o FLIBA, organizado pela Sociedade Civil e Secretaria Municipal de Cultura e Turismo do Município de Queimados.

O festival traz uma programação híbrida, online e presencial – com público reduzido e cumprindo as políticas de distanciamento social, devido ao período pandêmico e buscando a prevenção ao COVID-19 sem deixar de impulsionar a cultura. Além disso, as apresentações terão intérpretes de LIBRAS, audiodescrição, programa e divulgação com recursos de acessibilidades disponíveis no mercado.

A acessibilidade Cultural torna-se o carro chefe da primeira edição do FLIBA, deixando como legado para a Cidade de Queimados e região a entrega de uma Biblioteca Pública  da praça CEU (Centro de Artes e Esportes Unificado), estrutura do Governo Federal, já existente no local, localizado em um bairro popular e que será potencializado com ações de artísticas pelo novo Secretário.

A biblioteca será estruturada a partir do conceito de desenho universal de linguagem no que tange ao espaço físico, mobiliário, acervo e programação.

“Uma biblioteca, seja ela pública, privada, universitária ou escolar, é de suma importância em uma comunidade ou cidade, pois, as bibliotecas exercem um papel social determinante para a inclusão dos indivíduos na cultura da “Era da informação” ressalta a Romulo Sales. Outro ponto que o novo secretário destaca é O papel social das bibliotecas: “Além  da disseminação da informação, é também, a inserção das comunidades em geral ao conhecimento e suas práticas. Uma biblioteca dispõe de vários mecanismos atrativos voltados a comunidade leitora mediante ações dinamização junto ao público. Pretendo criar oficinas, feiras culturais, projetos de leitura e exposições”

Romulo Sales foi recebido em Brasília pelo Secretário de Cultura Especial Mario Frias; “Qualquer gestor público que atue na Cultura precisa da ajuda do Governo Federal. Mario me surpreendeu pela sua preocupação com democratização de acesso à Cultura na Baixada Fluminense e demonstrou um conhecimento técnico muito grande. O diálogo constrói pontes e oportunidades. Vou lutar em prol da população de Queimados. Para que possam ter o espaço no cenário geográfico que cultural que nunca tiveram”.

O objetivo de Romulo Sales agora é o de buscar uma nova agenda com O Secretário Especial Mario Frias com a presença dos Secretários de Cultura de toda a baixada.

Créditos: Touché Comunicação

 

#ToNaMidia #ClaudeLopes #Fliba2021 #ToucheComunicação

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on telegram
SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS

Leita também