A Água Do Nosso Banho

Amor cheguei

Jogo a chave na mesa da sala

Amor cheguei

Grito seu nome e seu perfume exala

 

E você vem

No vão da porta você me aparece

Mãos na cintura, num roupão de seda

Tentando em vão esconder sua beleza

Mas só aguça meu desejo

Corro pros seus braços, louco de saudade

Doido por seu beijo

 

Por sobre seu ombro, vejo a mesa posta

Enfeitada com as flores que mandei pela manhã

As velas, o gelo, o vinho

E nem me pergunto mais porque virei seu fã

 

Na pressa de libertar meu instinto animal

Nem percebo que o jantar virou sobremesa

Mas como poderia pensar em outra coisa

Diante de tanta beleza

 

Já não dá mais pra agüentar

O desejo nos invade

Sua lingerie no chão, seu seio, minha mão

Dois corpos sedentos de tanta vontade

 

Depois, aquele clima embaixo do chuveiro

Há! Esse amor já não tem mais tamanho

E então, nossos corpos esquentam

A água do nosso banho

 

 

 

COMPARTILHE
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on telegram
SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS

Leia Também